Médico preso por estupro

O médico anestesista colombiano Andres Eduardo Oñate Carrillo, preso nesta segunda-feira (16) por estupro de vulnerável e armazenamento e compartilhamento de imagens de abusos contra crianças e adolescentes, confessou os crimes.

Em depoimento, Eduardo (na foto, à esquerda) ainda afirmou, segundo fontes da Polícia Civil, que não sabia o motivo de suas compulsões. O homem foi levado para o presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde vai aguardar a audiência de custódia. Ele foi preso na casa onde mora com a esposa, que, segundo a Polícia, não queria acreditar que o marido estava cometendo os crimes.

O médico é suspeito de ter cometido ao menos dois estupros de mulheres que tinham sido sedadas por ele durante cirurgias em 2020 e 2021. Ele chegou a filmar os abusos, sendo um deles praticado contra uma idosa.

As investigações tiveram início em dezembro de 2022, a partir do compartilhamento da Polícia Federal, que encontrou mais de 20 mil cenas de abuso contra crianças e adolescentes, cometidos por outras pessoas, mas armazenadas em aparelhos do anestesista.

O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) disseram que ainda não foram notificados da decisão judicial, mas que abriram uma sindicância para apurar o caso, levando à suspensão do homem.

A CNN consultou a defesa de Andres, que afirmou que ainda está se informando sobre o caso.

Comente agora mesmo. Dê sua opinião.