O líder da bancada do MDB na Assembleia Legislativa, Vilmar Zanchin, manifestou na última quinta-feira (11) a posição dos oito parlamentares emedebistas sobre a criação de auxílio-saúde para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Ministério Público e Defensoria Pública.

Conforme Zanchin, é inoportuna a decisão de aprovar o benefício a magistrados e servidores, o que também abrange aposentados, pensionistas e dependentes. “No que depender da maior bancada do Parlamento, nos empenharemos para que a medida seja revogada”, garante o líder Vilmar Zanchin.

O parlamentar marauense lembra que os gaúchos vivem o momento mais crítico da pandemia, com milhares de vidas e empregos perdidos. “Não podemos admitir que os interesses individuais sejam colocados acima dos coletivos”, acrescenta Zanchin. Os valores instituídos neste mês de março pelo Judiciário variam entre R$ 2,2 mil a R$ 3,5 mil.

*Com informações Rádio Vang FM Marau.

Outras Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *